The Bible gets clear when we consider the historics happening. And it has to be thus because "AND THE WORD BECAME FLESH AND DWELT AMONG US". Bible Code in detail see: WWW.HOPETALK.ORG. A Bíblia fica clara quando levamos em consideração os acontecimentos históricos. E deve ser assim porque "O Verbo se fez carne e habitou entre nós". Código em detalhe: WWW.BIBLIA.COM.BR | Baixe livros grátis, visite o site www.varandadelivros.com |

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

ELEIÇÕES AMERICANA E AS CENAS FINAIS DO MUNDO HOLÍSTICO

ELEIÇÕES AMERICANA E AS CENAS FINAIS DO MUNDO HOLÍSTICO

A modernidade é uma grande responsável por compartimentar o homem e suas ações. Quanto mais pesquisamos as raízes humanas, mais percebemos sua integralidade. Ditados populares como: “amigos, amigos; negócios a parte”, são reveladores quanto à tentativa à divisão relacional do homem moderno. Uma pergunta que cabe aqui é: ‘Isso realmente funciona?’ Na sociedade onde vivemos, a política, a religião, a cultura, a vida profissional e a vida particular são sujeitadas à ideia da compartimentalização da vida humana. A língua que usamos é o elemento catalizador e revelador disso. O homem é homem em todo lugar. O homem é um ser integral e não consegue atuar à contento como reza a filosofia moderna.
Observamos nas culturas antigas que as pessoas integravam todas as áreas de sua vida em torno da sua religião. O povo mais conhecido mundialmente são os hebreus. Tudo para eles girava em torno da religião. Sendo um dos muitos povos que integravam o Oriente, berço da civilização; podemos concluir que os demais também tinham a religião como centro. Hoje dizemos que política não pode se mistiruar com religião. Naquela época diríamos que política não poderia abrir mão da religião. Naquela época; os líderes espirituais ou eram os próprios líderes da nação, ou um deles. Hoje não é assim; pelo menos teoricamente.
A religião é algo primário no homem. Pode-se sentir isso em todos os ramos do saber humano. A língua e a línguagem, inerentes a raça humana, são impregnadas de conceitos da religião. O Dr Guilherme Stein Jr em seu livro ‘A Origiem Comum das Línguas e das Religiões’ diz que “é certo que a linguagem humana desde o berço é essencialmente religiosa. O homem primitivo foi um homem religioso, para o atestar aí está a sua língua. Sua preocupação foi a religião, tudo o que diz respeito à sua origem e ao seu destino, e isto é comprovado também pelos seus primeiros ensinos de escrita” (p.134). A língua é uma ferramenta da interação entre os pares e os subordinados. Sendo assim, fica difícil separar 100% a religião da vida cultural, política e profissional. A política e a cultura sentem as influências da religião; e a língua, ferramenta crucial, se veste com matizes religiosas. Negar a religião, proibi-la ou restringi-la é o mesmo que tentar impedir o sol, a chuva, o ar de suas funções aqui na terra.
O homem é holísitco. Onde ele vai , leva consigo todos seus valores, inclusive religiosos. O que fazer então com a dicotomia formada pelos tempos modernos entre política e religião? Dissociar não é o caminho. Reintegrá-las deixou de ser interessante a milênios atrás. E ficar indiferente não ajudará em nada. Seguramente dar a liberdade e o respeito são os melhores camihos para o homem viver a sua holisticidade em sua comunidade. Onde faltar a liberdade de escolha e o respeito às escolhas haverá guerra, perseguição e muita morte. Vivemos num mundo imperfeito, caído e injusto. O que mais funciona entre nós é a liberdade e o respeito.
É por falta de liberdade e respeito que o mundo árabe guerrea, persegue e mata. Foi por cultivar a liberdade e respeito que a América se formou e fortaleceu, e hoje é um lugar mais desejado de se viver. É por medo da liberdade que a China age com restrições à sociedade budista. É por querer matar a liberdade que a Coreia do Norte promove a adoração de seu líder máximo. Foi por tentar se apossar da liberdade que a Igreja da Idade Média guerreou, perseguiu e matou. E foi por amor a liberdade que os mártires sofreram a guerra, a perseguição e a morte. E no coração da liberdade está a consciência religiosa. Se houvesse possibilidade de compartimentalização da vida humana; nada disso teria acontecido.
Política e religião; duas vertentes complementares e divergentes, a depender do jeito que se trata a liberdade e o respeito. A política, a religião e a liberdade; bem manejada na América ao logo de séculos, podem estar com os dias contados a medida que tentam ruir as bases da liberdade. A terra da liberdade e do respeito às diferenças política, religiosa, cultural; pode está em gestação a intolerância e a perseguição. A terra da liberdade pode se tornar a terra da perseguição.
É de se assustar quando se ver políticos de ideias restritivas e isolacionistas se fortalecendo. É verdade que tais políticos são apenas representantes de cidadões que cultivam o ódio e a intolerância. As eleições de 2016 na América estão assustando. Pior será quando o colosso da democracia americana se tornar um colosso de uma ditadura. E em ditadura não existe nem liberdade, nem respeito. E quem mais sofre são as minorias, sejam elas políticas, culturais, religiosas.

Sabendo que é impossível compartimentar a vida; haverá guerra, perseguição e até morte; confirmando políticos de ideias restritivas no poder. O homem, consciente e fiel às suas convicções religiosas ou políticas, vai até o fim. A consciência e a fidelidade só são bem vindas em terra de liberdade e respeito. A consciência e a fidelidade são autênticas, referendadas, unicamente pelo poder da escolha. O homem só é homem no exercício de seu livre arbítrio. É diante desse cenário já palpável que creio ser perfeitamente exequível as profecias de Apocalipse 13. E é diante de uma análise político-sociológica (extrabíblico) como esta que me faz crer piamente que a América é uma dos poderes descrito no livro profético, com papel decisivo nas cenas finais deste mundo holístico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário